• Que é consolidação de dívidas e como você pode usufruir deste serviço
  • Como funciona a consolidação de dívidas: confira como o serviço é oferecido
  • Verifique as vantagens que o serviço oferece e como você pode se beneficiar delas
  • Fique atento ao valor da negociação e saiba como avaliar se a consolidação de dívidas é a melhor opção para você?

Se o seu faturamento foi comprometido com as parcelas de empréstimos e outras contas a pagar, talvez esteja na hora de fazer uma consolidação de dívidas.Esse processo, que tem ajudado diversas pessoas e empresários, reúne todos os pagamentos em uma conta única.

Entretanto, é preciso uma análise detalhada antes de contratar esse serviço para unificar todas as dívidas em apenas uma. Para te guiar e ajudar você a entender como e quando compensa consolidar dívidas, preparamos este conteúdo especial. Confira a seguir!

O que é consolidação de dívidas?

A consolidação de dívidas é uma estratégia financeira que visa englobar todas as parcelas de contas e empréstimos que você possui em uma única cota de pagamentos. Ou seja, você junta todos os seus débitos e transforma em uma única parcela, a ser paga como quitação total.

Podemos usar um cenário hipotético para compreender melhor: Imagine que você ou sua empresa tem três empréstimos com o banco que gerencia sua movimentação financeira. Ao consolidar as dívidas, em vez de se preocupar com o pagamento das três parcelas, você assume apenas uma.

Como funciona a consolidação de dívidas?

Esse serviço está à disposição de todos. Seja para uma empresa ou pessoa, o planejamento financeiro pode ficar comprometido com várias parcelas de empréstimos e outras faturas e que podemos até nos esquecer de efetuar alguns pagamentos na correria do dia a dia.

É muito comum as pessoas contratarem vários empréstimos e acabarem não conseguindo quitá-los. De olho nesse público, os bancos oferecem um serviço que pode ajudar muito nesta situação. Ou seja, o banco consolida todas as dívidas de uma pessoa ou empresa em apenas uma, com menos juros.

Milagres não existem

Quando se trata de finanças, não existem milagres. Para turbinar o planejamento financeiro, além de taxas de juros menores, as parcelas têm que caber no bolso de quem está devendo. O devedor tem que pagar um custo por isso, pois quanto maior o tempo de alongamento da dívida, maior será o tempo pagando os juros cobrado pelo banco.

Para não perder o controle, os endividados devem ficar atentos ao saldo devedor e à quantidade de parcelas pendentes. Também não podem se esquecer de somar todas as parcelas antes de contratar o serviço de consolidação de dívidas.

Qual é a visão dos credores?

Na visão dos credores, a consolidação de dívidas é algo positivo. Isso demonstra que o consumidor está empenhado em fazer esforços e está assumindo a responsabilidade para quitar sua dívida. Na prática, os credores preferem que o consumidor consolide sua dívida em vez de decretar uma falência.

Também é importante destacar que os credores da falência não ficam com quase nada do devedor. Embora a decretação de falência permita que os consumidores liquidem suas dívidas e comecem do zero, a tendência é que ela também destrua o histórico de crédito do consumidor.

O que é CET e como comparar?

É comum aparecer uma porcentagem de CET ao simular um empréstimo, financiamento ou no serviço de consolidação de dívidas.

O CET é comparável a uma taxa de conveniência que pagamos ao contratar um serviço ou efetuar uma compra pela internet. Ou seja, é o Custo Efetivo Total de um serviço, englobando todos os encargos, tributos, taxas e despesas de um empréstimo ou financiamento.

Uma dica importante para quem está em busca de contratar um serviço de consolidação de dívidas é comparar o Custo Efetivo Total e avaliar, no mínimo, três propostas diferentes.

Fique atento ao valor total da negociação

As empresas são obrigadas a informar o Custo Efetivo Total na assinatura de um contrato de consolidação de dívidas.1 Avalie com atenção o CET de cada proposta. Fique atento, pois nem sempre um empréstimo a juros baixos é o mais barato ou mais vantajoso. As tarifas podem deixar o custo final maior, apesar dos juros menores.

Use o CET como referência para ter certeza de qual é a proposta mais vantajosa. Outra dica: busque ofertas melhores nos concorrentes. Um deles pode acabar cobrindo a proposta de outro incentivado pelos juros básicos do país.

Interesse dos bancos

Todos os bancos têm um grande interesse em oferecer um serviço de consolidação de dívidas. Isso porque o serviço acaba deixando sua carteira de crédito mais saudável. Como resultado, haverá uma melhora também no balanço financeiro da entidade que está oferecendo o serviço.

Use esse interesse dos bancos a seu favor buscando a melhor opção a partir de uma simples pesquisa. Lembre-se de que os bancos preferem ter clientes com dívidas controladas que pagam juros por mais tempo do que devedores com dívidas que estão se tornando incobráveis e que podem receber um grande desconto no futuro.

Mudando o estilo de vida

Para que a consolidação de dívidas se torne a opção mais adequada para quem está com muitas dívidas, o ideal é que haja uma mudança no estilo de vida de quem vai contratar o serviço.2

Para evitar cair em um superendividamento é importante que, com o alívio nas parcelas, o devedor busque efetivamente fazer mudanças, às vezes radicais mas necessárias como vender imóveis, carros e outros bens, com o objetivo de antecipar o pagamento das parcelas e diminuir o impacto ao se pagar juros por mais tempo.

Vale a pena consolidar as dívidas?

Confira abaixo algumas perguntas que precisam ser respondidas antes de contratar o serviço:

  • Contratar um serviço de consolidação de dívidas vai ajudar na organização das minhas finanças? Lembre-se que o objetivo é ter apenas uma parcela mensal para pagar, ao invés de várias parcelas provenientes de diferentes empréstimos.
  • Terei uma grande probabilidade de pagar uma taxa de juros menor do que as que estão sendo pagas nos diversos empréstimos ativos?
  • Poderei prolongar o prazo para pagamento e de ter uma prestação mensal menor?

Confira as vantagens antes de se decidir

Confira as vantagens para quem está pensando em consolidar as dívidas:

  • Você pode unificar as dívidas pendentes em uma única dívida, facilitando a compreensão dos débitos como um todo
  • Você pode trocar as condições de pagamento por opções mais viáveis e favoráveis à sua realidade
  • Ajudará a reequilibrar as suas finanças pessoais ou empresariais
  • Você poderá ter um período de carência: em algumas instituições financeiras, por exemplo, você pode unificar seus créditos em um mês e programar a primeira parcela do novo empréstimo para três meses depois.

Quando não unificar as dívidas?

Após buscar opções junto aos bancos e levar em conta a soma de todos os seus débitos, se você não obtiver nenhum desconto na consolidação de suas dívidas, é melhor rever e não recorrer a essa estratégia.

Analise a incidência de juros sobre a nova parcela, ela pode ficar maior do que a do empréstimo contratado anteriormente, já que haverá um novo prazo para esse pagamento.

Ou seja, se após toda a análise da sua situação financeira você chegar à conclusão de que consolidação não é algo interessante, o melhor é não consolidar suas dívidas.

Fechar o contrato: dicas para a tomada de decisão

  • Analise a situação das suas dívidas: faça um levantamento sobre a situação de suas dívidas identificando o valor da parcela, os juros e quantas prestações ainda restam
  • Entre em contato com instituições financeiras que trabalhem com consolidação e verifique quais são as vantagens oferecidas3
  • Avalie bem as propostas que você receberá. O ideal é que você pesquise diferentes instituições financeiras para avaliar qual oferece mais benefícios
  • Assine o contrato. Após fazer uma análise profunda sobre os pontos positivos e negativos, é hora de assinar o contrato.
1
Serasa Ensina, CET: O Que É Custo Efetivo Total e Para Que Serve? 2
Foregon, Consolidação de dívidas: conheça e veja como unificar suas pendências 3
Xpeed, Consolidação de dívidas: posso unificar empréstimos? Veja!